Segundo o Dicionário Aurélio[1], vem do latim prigitia e seu primeiro sentido é aversão ao trabalho. Há outros sentidos: negligência, indolência, mandrilice. E também: morosidade, lentidão, pachorra, moleza.

Embora seja um substantivo feminino, preguiça qualifica um bicho, conhecido como bicho-preguiça, que eu saiba o único animal que não tem seu próprio nome, como cachorro, leão, pato, por exemplo, mas para designá-lo usamos “bicho” e uma qualificação pejorativa, quase um xingamento: “bicho-preguiça”.

[1] FERREIRA, A. B. de H. 1986. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro/RJ: Ed. Nova Fronteira.

Maria da Penha Zabani Lanzoni

Maria da Penha Zabani Lanzoni

Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo; Membro Efetivo e Analista Didata da Sociedade Psicanalítica do Rio de Janeiro; Membro Efetivo e Analista Didata do Grupo de Estudos Psicanalíticos de Minas Gerais e delegada da FEBRAPSI; Membro Fundador e da atual Diretoria do CETEC (Centro de Estudos da Teoria dos Campos).