Manifesto da Febrapsi

15 de outubro, 2018

DEMOCRACIA, SIM! – Manifesto da Febrapsi

Democracia, sim!

Com o encerramento do primeiro turno das eleições, confirmou-se a polarização que as pesquisas já indicavam.

São inúmeros e distintos os motivos que levam as pessoas a escolher seus candidatos, bem como aqueles em quem jamais votariam. Não raro, cada um tende a achar que seus motivos estão acima dos demais.

A atual eleição foi marcada pela vitória do “não”, seja como expressão do rechaço aos posicionamentos de um dos candidatos ou da rejeição à história de um dos partidos.

Cabe a nós psicanalistas, defensores intransigentes da democracia, pensarmos o que cada um dos agrupamentos de “nãos” defende; mas, principalmente, o que eles escondem, negam, denegam, recusam. Como bem nos ensina Freud sobre o negativo no inconsciente.

Não raro, moraliza-se, critica-se, denigre-se, contestam-se escolhas motivadas por pressupostos diferentes dos que se têm como referências.

A democracia é uma profissão de fé. Ela pode dar guarida ao inferno que se enxerga na posição dos outros e, também, pode proteger de quem vê o demônio em nós (ou vice-versa). Fora da democracia, tratamos as diferenças com os irmãos através das torturas, fogueiras, terrorismos, exílios, patrulhamentos moralistas.

A história mostra que esse é o clima mais propício para o pior dos mundos: o aprisionamento/homicídio/suicídio da própria democracia.

A Psicanálise em seu papel de busca permanente das verdades mais profundas, como citou Roudinesco, periodicamente é atacada “como ciência judaica pelos nazistas, como ciência burguesa pelos stalinistas, como falsa ciência pelos adeptos contemporâneos do comportamentalismo”. Horenstein, ao fazer esta citação, acrescenta: como ciência satânica pelos fundamentalistas religiosos e é à democracia que se deve a sua existência e manutenção.

A Febrapsi, em tão importante momento, não foge ao seu papel. Ela é Democracia! Sem que isso implique uma negação dos seus problemas e limitações.

Como casa de intelectuais, por meio do Observatório Psicanalítico, a Febrapsi abre espaço para que pontos de vistas sejam defendidos, debatidos, rebatidos, questionados. Isso com as devidas responsabilidades pessoais pelas opiniões emitidas e pelo respeito ao direito de contraditórios. Seria estranho se nesse momento não tivéssemos divergências entre nós.

Cabe a cada um defender suas convicções. Como instituição, defenderemos o sagrado resultado da subjetividade expressa pelos votos de cada um.

 

Hemerson Ari Mendes

Diretor do Conselho Profissional da Febrapsi

 

Cláudia Carneiro

Diretora de Publicações e Divulgação da Febrapsi

 

Anette Blaya Luz

Presidente da Febrapsi